Quantidade de Páginas visitadas

Plano de Ação da Equipe Multidisciplinar 2017
Plano de Ação da Equipe Multidisciplinar 2017. Clique aqui.
O curso Equipe Multidisciplinar 2017 tem como temática a beleza, a riqueza e a resistência dos povos africanos, afro-brasileiros e indígenas. O curso propõe dar continuidade à capacitação das (os) educadoras (es) para atuarem no processo de reeducação das relações étnico-raciais, conforme o disposto no artigo 26 da LDB/96, nas Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais e para o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira, no Estatuto da Igualdade Racial e nas Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Escolar Indígena.
RETRATO DA ESCOLA






RETRATO DA ESCOLA

O Colégio Estadual de Marmeleiro situa-se no Município de Marmeleiro, à Rua Laurindo Crestani, nº 300 – Centro, com Ensino Fundamental e Médio em três turnos de funcionamento (matutino, vespertino e noturno). Localiza-se na zona urbana do município de Marmeleiro, o entorno da escola é residencial, a localização central favorece o acesso aos alunos e transporte escolar do interior do município. Os alunos são procedentes de diversos bairros e centro, totalizando 68%, enquanto 32% são provenientes do interior do município de Marmeleiro.
O Colégio conta com 27 (vinte sete) turmas, sendo 13 (treze) de Fundamental II e 14 (quatorze) de Ensino Médio, totalizando cerca de 758 (setecentos e cinquenta e oito) alunos. Estes alunos são provenientes de famílias de nível econômico baixo e médio, das classes assalariadas, sendo que a maioria possui renda de 2 (dois) a 7 (sete) salários mínimos, seguido por 25%, que recebem de 1 (um) a 2 (dois) salários mínimos, outros, mais de 5 (cinco) salários. Também verificou-se que 15% sobrevivem com menos de um salário mínimo.
O Colégio Estadual de Marmeleiro começou a funcionar em primeiro de março de um mil novecentos e setenta (01/03/1970), como extensão do Colégio Comercial de Francisco Beltrão, com o Curso Comercial, no prédio cedido pela Escola Municipal D. Pedro I – Ensino de 1ª à 4ª séries. Em primeiro de dezembro um mil novecentos e setenta (01/12/1970) foi desmembrado deste estabelecimento de ensino, através do Decreto de Criação nº. 21876, e passou a denominar-se Colégio Comercial de Marmeleiro – Ensino de 2º Grau.
Pela Resolução 469/83 de 03/05/83, foi autorizado a funcionar como Colégio Estadual de Marmeleiro - Ensino de 2º Grau, resultante da reorganização do Colégio Comercial Estadual de Marmeleiro, ficando o estabelecimento autorizado a ministrar as habilitações Básicas em Administração e Básico em Comércio.
Em 2011, o Colégio passou a oferecer três turnos de funcionamento: matutino, vespertino e noturno. Trabalhando com 30 turmas, sendo 15 do Ensino Fundamental e 15 do Ensino Médio, no Regular.
Em 2016, o Colégio deixou de ofertar o Ensino Médio em regime de Alternância na Casa Familiar de Marmeleiro. Atualmente (2017), o Colégio oferta: Sala de Recurso para alunos do Ensino Fundamental (6º ao 9º) e para os alunos do Ensino Médio (do 1º ao 3º); Sala Apoio para alunos de 6º e 7º anos; Atendimento Especializado em Deficiência Visual, Atividade Complementar Curricular em contraturno: Aulas Especializadas de Treinamento Esportivo, em basquete e futsal; O CELEM; Ainda, o Colégio disponibiliza salas de aula para o atendimento do EJA, por meio de convênio com o CEIEBJA de Francisco Beltrão.
O Colégio Estadual de Marmeleiro conta com um laboratório de informática que é utilizado pelos docentes e alunos mediante o agendamento. Sendo utilizado como procedimento metodológico e pesquisa. Algumas dificuldades são encontradas neste ambiente, como:
- Os Computadores “travam” com frequência;
- Não há computadores suficientes conforme a turma;
- Memória dos computadores é insuficiente para instalação de novos programas;
- Lentidão ao acesso quando há vários alunos conectando-se;
- Espaço físico pequeno. Mesas e cadeiras, organizadas de acordo com a orientação da SEED.
- Dificulta a locomoção entre as fileiras pelo professor.
- Facilita a interação entre alunos.
Para que o Laboratório de Informática se transforme em um espaço de aprendizagem significativa, e não apenas ser utilizado de forma instrumental, algumas ações se tornam imprescindíveis serem estabelecidas na escola. Entre elas podemos citar:
- Intensificar a oferta de formação continuada sobre o uso das ferramentas da informática aos professores e profissionais da escola;
- Manter uma estrutura de organização e manutenção dos computadores para o laboratório de informática, de modo que possam ser amplamente utilizados, atender a um agendamento prévio, seguindo o seu regulamento interno; disponibilizar um agente para organizar o uso do laboratório acompanhando os professores e alunos em suas pesquisas (PPP, 2017).
O corpo docente atua coletivamente em prol do ensino aprendizagem. Para isso, utiliza-se de diferentes metodologias a fim de formar este sujeito integralmente, com o auxilio do uso das tecnologias. É reconhecível que a tecnologia atrelada ao ensino, pode promover melhor o processo de ensino aprendizagem, desde que, utilizada de forma coerente e intencional.
As novas tecnologias na educação não podem ser vistas somente enquanto instrumental, ou seja, o uso da tecnologia pela tecnologia. Esta deve proporcionar aos profissionais da educação e também aos alunos a compreensão dos interesses pedagógicos resultantes de sua utilização, os fins e objetivos didáticos-pedagógicos, e ao invés de aprisionar o sujeito, o libertar. A tecnologia deve ser um processo de inclusão e não de exclusão do sistema (PPP, 2017).
O uso da tecnologia na educação, atrelado a inclusão digital é uma necessidade para a escola, para os professores e para os alunos. E é por meio desta necessidade que a escola procura formação e conhecimento, por meio da formação continuada dos professores e projetos (como Conectados 2.0, oferecido pela SEED).
Além disso, o Colégio investe na aquisição de instrumentos tecnológicos, e uso de aplicativos que venham possibilitar o ensino-aprendizagem do aluno, utilizando as ferramentas (tablets, celulares, computadores. multimídia etc.) como auxílio pedagógico, de acordo com as determinações da Lei 11.118 de 24 de Junho de 2014, melhorando o aprendizado do aluno (PPP, 2017). O Regimento Escolar assegura o uso das tecnologias para fins pedagógicos no artigo XIV. E proíbe ”utilizar-se de aparelhos eletrônicos na sala de aula, que não estejam vinculados ao processo de ensino-aprendizagem” (Regimento Escolar, 2017).

Compreendemos que a tecnologia deve ir além de uma “gama diversificada” de instrumentos, mas como possibilidades de produção do conhecimento e auxílio à chegada aos objetivos pedagógicos. Desta forma, entendemos que, o uso das tecnologias, dentre eles (multimídia, computadores, laboratório e smartphones etc ) no ambiente escolar tem a corroborar com o processo de ensino-aprendizagem, possibilitando aos alunos o contato com o mundo globalizado e as novas tecnologias.
As tecnologias TDICs invadem nosso cotidiano e o ambiente escolar, podem dinamizar os processos de ensino e aprendizagem nas escolas, não temos dúvida de que as novas tecnologias dinamizam as informação rapidamente e as formas de comunicação foram evoluindo através do uso de mídias de aparelhos tecnológicos. É preciso considerar que as TIC estão exigindo o domínio de novas competências de leitura e escrita, fator que não pode ser desconsiderado pelos professores e pela escola, mas não pode ser visto como único instrumento de dinamização de conhecimento. As tecnologias nada mais são que ferramentas para o apoio do processo ensino aprendizagem.
O avanço técnico científico possibilita cada vez mais o uso de tecnologias na educação. Porém, ainda é significativa a distância entre o professor e a tecnologia; devido ao desconhecimento e limitações destes equipamentos em processos de ensino e aprendizagem, pois falta ao educador conhecimentos do manuseio, orientações do “como usá-los”. Nesse sentido cabe aos professores, a cada dia, repensar o contexto educacional com uma visão de futuro para que torne o ambiente educativo prazeroso e possível o aprimoramento das diversidades para o aprender dos alunos.
Isso significa que o processo de ensino e aprendizagem deve incorporar cada vez mais o uso das tecnologias digitais para que os alunos e os educadores possam manipular e aprender a ler, escrever, e expressar-se usando essas novas modalidades e meios de comunicação, procurando atingir níveis mais sofisticados de letramentos.
No colégio Estadual de Marmeleiro, as práticas pedagógicas têm se mostrado inovadoras e estão sendo colocadas em prática em nosso ambiente escolar, como: utilização de blog, acesso a diversas plataformas educacionais, avaliação de trabalhos na oralidade através de vídeos audiovisuais, simulados, pesquisas, imagens, jogo, vídeos, entrevistas gravadas em vídeo, entre outros. Os recursos utilizados são aparelhos multimídias instalados em sala de aula, smartfones, câmera fotográfica, notebook. Essas inovações pedagógicas têm despertado o entusiasmo pela busca do conhecimento por parte de nossos alunos, pois quando se oferece algo novo, o interesse e a motivação são despertados em educandos e educadores.
Projetos como:

- CELEM / ESPANHOL: QUATRO (04) turmas de Espanhol também fazem parte dos projetos de língua da Escola, onde os alunos além de aprender uma nova língua ofertado em forma de curso (CELEM) aprendem um pouco da Cultura Espanhola utilizando-se de atividades que envolvem a tecnologia na realização das atividades, que são disponibilizadas no espaço escolar.

- "RECITAL DE POEMAS e CONTAÇÃO DE HISTÓRIA"
(Professora Marivone Nardi Scolari - Disciplina de Português) - Com alunos de 9º anos do período vespertino. Do qual objetivou:
- Selecionar poemas que propiciem explorar a oralidade do aluno.
- Recitar poemas de autores diversos;
- Estimular a contação de histórias (contos), utilizando-se dos recursos extralinguísticos (entonação, expressões facial, corporal e gestual, pausas.
- Empregar a língua oral em diferentes situações de uso e saber adequá-la a cada contexto;
Durante as aulas semanais de leitura, os alunos foram orientados a selecionar e ler poemas de autores diversos para posterior apresentação dos mesmos. Também foram selecionados contos clássicos e populares para serem “contados” durante o recital. A professora mediou a escolha dos textos que foram apresentados, bem como ensaiar e orientar os alunos quanto a prática da oralidade desses textos. Foi preparado um painel para fazer parte do cenário da apresentação dos trabalhos. A apresentação aconteceu no saguão da escola, entre os dias 01 e 14 de agosto, data fixada para a apresentação do projeto de leitura. Algumas turmas do Ensino Fundamental foram convidadas para assistirem ao recital.

- PROJETO DE LEITURA - A CONTRIBUIÇÃO DOS BLOGS PARA A EDUCAÇÃO
(Prof.: Jober José da Silva - Disciplina de Química) - com alunos do 3ª ano Vespertino. Do qual objetivou: Despertar o interesse dos alunos no estudo das funções químicas: Hidrocarbonetos, álcool, aldeído, cetona e ácido carboxílicos com o intuito de prepara-los pra o ENEM e vestibular.
O Surgimento e desenvolvimento das TICs no cenário educacional, provocou nos educadores uma necessidade de contínuo desenvolvimento e com essa demanda surgiram também muitos blogs educacionais .A produção de um blog para fins educacionais contribui para a educação porque neste contexto a aprendizagem não ocorrerá de maneira linear e sim de forma colaborativa entre todos os agentes participantes no processo educativo .A partir desta concepção nossa próxima atividade a ser desenvolvida com os alunos será a criação de um blog.
Serão formados grupos com quatro alunos previamente sorteados, estes grupos terão como missão a criação de um blog educacional, onde serão postadas as atividades desenvolvidas pelo grupo. Abaixo a lista de atividades a serem desenvolvidas pelo grupo:
 Hidrocarbonetos (petróleo)
Vídeo referente ao assunto até 5min;
Resumo referente ao assunto;
Uma questão de vestibular ou Enem respondida.
 Álcool;
Vídeo referente ao assunto até 5min
Resumo referente ao assunto;
Uma questão de vestibular ou Enem respondida.
 Cetona;
Vídeo referente ao assunto de até 5min
Resumo referente ao assunto;
Uma questão de vestibular ou Enem respondida.
 Aldeído
Vídeo referente ao assunto de até 5min
Resumo referente ao assunto;
Uma questão de vestibular ou Enem respondida.
 Ácido carboxílico
Vídeo referente ao assunto de até 5min
Resumo referente ao assunto;
Uma questão de vestibular ou Enem respondida.

Obs.: Plataforma utilizada será o https://www.blogger.com
Quanto aos resultados: Esperamos despertar o interesse pelo conteúdo e consequentemente o conhecimento científico referente as funções orgânicas.


-PROJETO HORTA NA ESCOLA (Professores: Elton Gehlen e Paulo Galina - Disciplinas: Matemática e Ciências) -Turma 7º a Vespertino e 7º B Matutino.
Tomamos a iniciativa de cultivar uma horta orgânica e medicinal no Colégio Estadual de Marmeleiro, cujo objetivo principal é o resgate de valores e tradições dos mais antigos que utilizavam as ervas e temperos como alternativa da medicina caseira como forma de curar as doenças.
Esse resgate se faz necessário para que as novas gerações sejam capazes de entender como as gerações foram evoluindo e ao mesmo tempo deixando de lado conhecimentos adquiridos através de gerações. Com esse intuito de resgatar uma cultura mais natural, tem-se pensado em despertar nos alunos de 7º anos do Colégio Estadual de Marmeleiro, o interesse de saber como se cultiva essas plantas medicinais e temperos aromáticos, quais seus benefícios para a população escolar.
Objetivos:
- Produzir hortaliças, temperos e ervas medicinais com qualidade sem agrotóxicos para serem servidos nos lanches dos alunos.
- Produzir diversos tipos de chá, temperos e hortaliças, para serem consumidos no lanche da escola, melhorando a qualidade da merenda escolar e também para chás a fim de diminuir o consumo de remédios químicos.
- Identificar os diversos tipos de chás e temperos com os seus nomes científicos e suas características medicinais, (modo de preparo e qual suas finalidades).
Tempo de duração: ano todo.
Material: Tijolos, areia, cimento e cal, para construir os canteiros, terra e adubo orgânico, sementes e mudas de verdura, chás e tempero. Computador para pesquisa dos nomes científicos e modo de preparo, bem como os benefícios.
AVALIAÇÃO: Os alunos serão avaliados pela participação no projeto e na execução das atividades na horta, como plantio, medição, irrigação e atividades práticas de área e perímetro.
Em 2017 foi implantado no Colégio Estadual de Marmeleiro o “Conectados 2.0”, projeto, proposto pela SEED, que objetiva conciliar as atividades pedagógicas curriculares às inovações e recursos tecnológicos. O trabalho será desenvolvido com uma turma de 1ª série do Ensino Médio, e os respectivos professores desta turma.
A Rádio na Escola é um recurso de mídia que possibilita exercer a capacidade de comunicação, criatividade, socialização de informações, a leitura e a escrita.
O projeto é desenvolvido com os alunos das terceiras séries do Ensino Médio e colaboração do Grêmio Estudantil, na hora do intervalo.
Os mesmos realizam a programação: músicas de vários estilos e ritmos com temas que versam sobre violência, democracia, ideologia entre outros. Informações notícias, avisos e apresentações culturais, priorizando o recorte de conteúdo estudado.
O Rádio na Escola – Estadual Educa – tem também horário aos sábados, manhã, na Rádio FM Cultura de Marmeleiro. A apresentação é feita por uma das pedagogas da escola que é coordenadora do projeto.
O programa é voltado aos acontecimentos da escola, assuntos de interesse da comunidade, informações e entrevistas e outros assuntos pertinentes.

Para representar o retrato da escola o grupo escolheu a página do facebook e o site do Colégio, que divulgará fotografias, vídeos do youtube e projetos.
Vídeos Youtube:
Vídeo: A tecnologia no dia a dia
Tecnologia%20e%20sociedade..m4v
Pobreza%20e%20exclus%C3%A3o%20social..m4v
Tecnologia%20e%20sociedade.%20%281%29.m4v

Referências Bibliográficas
FREIRE, P. Comunicação ou extensão. São Paulo: Paz e Terra,1983.
TRIMINO, G. J. C. Guía actividad DISTANCIA: ETP y gestion del conocimento. Imperativo para las empresas del siglo
Projeto Político Pedagógico Colégio Estadual de Marmeleiro. 2017.
Regimento Escolar Colégio Estadual de Marmeleiro. 2017.
CEREJA, William Roberto, MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: Linguagens. 9ª Ed., Editora Saraiva, São Paulo, 2015.
Proposta Curricular da Disciplina de Língua Portuguesa - Ens. Fund., 2008.
Inserção dos Conteúdos de História e Cultura Afro-Brasileiro nos Currículos Escolares, 2003.
Grimm, Jacob. Contos dos Irmãos Grimm. Rio de Janeiro: Rocco, 2005.
SILVA, J.J. APLICABILIDADE DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO DAS CIÊNCIAS NATURAIS.PDE-2104.
SILVA, R. C. IMPACTOS, DIFICULDADES E AVANÇOS NA INSERÇÃO DE TECNOLOGIAS NA CULTURA ESCOLAR. 2014.106 f. Dissertação (Mestrado)-Programa de Mestrado em Educação, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, 2014.
Sugestões de blogs:
http://minhaquimicaminhavida.blogspot.com.br
https://quimicaprofunda1.blogspot.com.br
• //aquimicadospia.blogspot.com.br
http://joberquimica.blogspot.com.br
http://quimiloucos4.blogspot.com.br
TECNOLOGIAS EXPLICADAS EM VÍDEOS TUTORIAIS

Tecnologias explicadas em vídeos tutoriais




Assessoria de Comunicação/Seed

A Secretaria da Educação está publicando vários tutoriais em vídeo sobre diferentes tecnologias utilizadas nos cursos Aprendizagem com Mobilidade e no Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE). Os vídeos incluem instruções sobre o uso de programas de computador e aplicativos mobile (celular e tablet), podendo ser acessados gratuitamente por toda a comunidade no portal Dia a Dia Educação.

Os tutoriais incluem os programas do OpenOffice, software livre similar ao Microsoft Office, para edição de texto e outras funções, o uso do Tablet Educacional, a utilização do serviço de compartilhamento na nuvem Dropbox, a publicação de vídeos no YouTube, e o editor de imagens Gimp, além de vários outros.

“A intenção dessas produções é apresentar aos professores essas diversas tecnologias, fazendo com que eles se apropriem desses recursos”, explica a coordenadora de Produção Multimídia da Secretaria da Educação, Eguimara Branco.


Fonte: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br



Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito